Can City celebra SP e a reciclagem

Por Redação

Projeto reaproveita o que a cidade descarta

Quando pensamos em móveis feitos a partir de lixo reciclado ou reempregado, peças elegantes e cheias de design não são a primeira coisa a passar pela cabeça. Uma ideia errada parece assolar a maioria: beleza e sustentabilidade não andam juntas. Para refutar essa percepção, o Coletivo Amor de Madre, em parceria com o Studio Swine, lança o projeto Can City. A exposição homônima, parte do projeto, ocupa a sede paulistana do Coletivo, nos Jardins, até o dia 30 de abril. A ideia central é transformar São Paulo em uma fábrica de móveis que usa seu próprio descarte como matéria-prima.

As peças, feitas a partir de garrafas de vidro e do alumínio das latinhas de bebida, têm desenhos inspirados na folhagem das árvores. Enquanto, das garrafas, se fazem luminárias, do alumínio fundido, nascem belas banquetas. Para fundir as latas, Azusa Murakami e Alexander Groves, do Studio Swine, criaram uma fornalha móvel feita com um barril de chope e concreto. Nela, o combustível que queima é o óleo de cozinha descartado pelos bares e cafés. A dupla inglesa, que está no Brasil, aproveitou para ensinar a técnica aos catadores de lixo, que colaboraram no recolhimento da matéria-prima.

  (Foto: divulgação)

As garrafas verdes, por sua vez, são aquecidas, e suas formas são redesenhadas com o auxílio de um soprador de vidro. O produto final são luminárias exclusivas que serão comercializadas durante a exposição. Os preços dos produtos vão de R$ 80 a R$ 25 mil reais. A produção de todas as peças foi registrada em vídeo, que também é exibido na mostra. Além disso, a Heineken, patrocinadora da empreitada, irá inaugurar em abril um bar na galeria da sede do Coletivo Amor de Madre que será decorado com o mobiliário produzido segundo as técnicas do projeto.

“São Paulo é o maior polo de reciclagem do Brasil, e, em cada esquina da cidade, há um boteco que utiliza óleo vegetal e descarta latas e garrafas, então vimos nisso uma oportunidade de resolver o problema do descarte de forma artística”, diz Olívia Yassudo, diretora do Coletivo. O Can City é open-source e estará disponível em maio no site do Studio Swine. A ideia é que o projeto possa ser aplicado em outras cidades e pelo maior número de pessoas possível. “Nós tentamos explorar a diligência e engenhosidade de São Paulo e de seus moradores, mostrando a beleza e o valor do que é descartado”, finaliza Azusa Murakami.

Can City 
Local: Coletivo Amor de Madre
Endereço: rua Estados Unidos, 2.174/ 2.186, Jardins, São Paulo, SP
Data: até 30 de abril
Horário: de segunda a sexta, das 10h às 19h; e, aos sábados, das 10h às 18h
Tels. (11) 3061-9384 / 3061-9044
Ingresso: grátis

  (Foto: divulgação)

 

  (Foto: divulgação)

 

  (Foto: divulgação)

 

  (Foto: divulgação)

 

  (Foto: divulgação)

 

  (Foto: divulgação)

 

  (Foto: divulgação)

 

  (Foto: divulgação)

 

Related posts

Leave a Comment