Copa de 2026:FIFA exige isenções de vistos e impostos e permissões de trabalho

Por Peter Rov –

Os Estados Unidos e outros países que pretendem sediar a Copa do Mundo de 2026 devem fornecer garantias governamentais sobre viagens livres de vistos, além de permissões de trabalho e isenções fiscais, para que suas candidaturas sejam aceitas, de acordo com documentos publicados pela Fifa nesta terça-feira-7.

Os EUA querem sediar o torneio de 2026 em candidatura conjunta com Canadá e México, que também precisam se comprometer com as garantias governamentais para que a proposta seja aceita pela Fifa.

O Marrocos é atualmente o único outro país que indicou desejo de se candidatar para sediar o torneio, que será a primeira edição a ter uma expansão para 48 seleções.

A Fifa quer um ambiente livre de vistos, ou ao menos procedimentos de vistos não discriminatórios, e isenções de permissões de trabalho se aplicam para qualquer pessoa envolvida na Copa do Mundo e isenções fiscais se relacionam à Fifa e suas subsidiárias.

Embora a Fifa tenha pedido – e recebido – isenções similares no passado, essas inclusões em um renovado processo de candidatura da Copa do Mundo significam que o atual governo dos Estados Unidos, do presidente Donald Trump, irá precisar assinar as isenções.

Sunil Gulati, presidente do “Comitê Unido de Candidatura” conjunto entre EUA, México e Canadá, declarou anteriormente que Trump apoia a ideia de levar a Copa do Mundo para os EUA, que sediaram a competição de 1994.

A Fifa lançou novos critérios de candidatura após a organização ser fortemente criticada por conta do processo de escolha para as Copas de 2018 e 2002, vencidas pela Rússia e Catar, respectivamente.

Apresentação formal das candidaturas completas precisa ser feita até 16 de março de 2018 e a Fifa irá decidir se irá selecionar uma das candidaturas em seu congresso em junho do ano que vem, ou se irá reabrir o processo caso nenhuma das candidaturas seja aceita.

DOCUMENTO GERAL

Sobre imigração e garantias de viagens, o documento geral da Fifa sobre garantias governamentais afirma:

“Para proteger as necessidades dos respectivos grupos de indivíduos, o governo é solicitado a estabelecer geralmente um ambiente livre de vistos ou facilitar procedimentos existentes de vistos para eles”.

“Independentemente, quaisquer procedimentos de vistos devem ser aplicados de uma maneira não discriminatória”.

Como candidato presidencial, Trump pediu uma restrição total da entrada de muçulmanos nos Estados Unidos, como uma medida antiterrorismo.

O documento da Fifa acrescenta, no entanto, que: “É sabido que tal facilidade de acesso ao país sede não deve de modo algum afetar adversamente os padrões nacionais de imigração e segurança no país sede”.

Related posts

Leave a Comment