Mulher diz que foi abordada por polícia após voo por ser negra e gorda

Por Leonardo Sambaqui-

“A Polícia foi chamada para me conter porque estou em um avião e sou gorda e preta”. A frase foi tuitada em tempo real por Amber Philips, de 28 anos. Passageira de um voo da American Arlines, a norte-americana denunciou que foi maltratada porque a vizinha de assento disse às comissárias de bordo estar incomodada porque os braços das duas estavam se tocando.

Amber saiu da Carolina do Norte com destino a Washington na sexta-feira (28). De acordo com ela, a passageira ao lado teria passado os 45 minutos de voo “fazendo cena porque o meu braço estava tocando no dela. Ficou perguntando alto se poderia me afastar em um avião tão pequeno que até as bagagens de mãos foram despachadas”.

+ Mulher é baleada por policias ao impedir socorro à filha de dois anos

Conforme a jovem negra, a mulher ao lado acabou por dizer a uma comissária que tinha sido agredida. A denúncia fez com que as funcionárias chamassem a polícia. Amber gravou e tirou fotos e publicou na rede social.

amber j. phillips@AmberJPhillips

I’m tired but in the morning, I’ll tell you all how a white woman @AmericanAir flight attendant called the cops on me bc I made the white woman siting next to me uncomfortable bc my arm was touching hers on flight AA5580. The cops were called on me for flying while fat & Black.

“Quando esta (mulher branca) sentou-se normalmente ao pousarmos, depois de passar o voo inteiro inclinada sobre a bandeja em frente ao assento, ela estava confortável e nem me tocava. Foi a última gota. Ela fingiu durante o voo para me fazer sentir como m**da, quando não precisava”, justificou.

Ao sair do avião, Phillips disse que foi abordada por um policial ainda no transporte para a área das bagagens. Ela foi mantida no local, enquanto a agente conversava com a comissária e a suposta ‘vítima’. “Só então o policial veio pedir meus documentos e perguntei: ‘Quer saber o que aconteceu?’. Agressivo, ele disse: ‘não'”.

“Quando um segundo policial começou a me repreender como se fosse uma criança, perguntei: ‘estou sendo presa?’. E recebi a resposta de que não”, contou Amber Phillips. A passageira disse ainda que a polícia não perguntou a ela o que tinha acontecido.A polícia informou ao Daily Mail que tinha ouvido a vítima, procedimento que seria padrão. A American Airlines respondeu a um dos tuítes dela: “Queremos tornar o mundo um lugar menor e mais inclusivo. Por favor, nos mande uma DM com mais informações e seu contato”.

Related posts

Leave a Comment